quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

EEM CÔNEGO LUIZ BRAGA ROCHA - 50 ANOS EM 2016


SIGNIFICADO DE EDUCAÇÃO

O QUE É EDUCAÇÃO


Educação é proveniente do latim, educare, educere, cujo significado literal é conduzir para fora ou direcionar para fora. O termo é composto pela união do prefixo ex (fora) e ducere (conduzir ou levar).

O que é educação?

Educação é a ação de  instruir. Significa dar polidez. Em sua origem, o significado de “direcionar para fora” era empregado com o sentido de disciplinar ou preparar uma pessoa para o mundo, para viver em sociedade,  ou seja, conduzir para fora da casa dos pais, para fora de si mesma, mostrando as diferenças que iria encontrar no mundo.
Num sentido mais amplo e moderno, educação tem como significado os hábitos, valores e costumes em uma determinada cultura, que são transferidos de geração para geração. Assim, a educação é formada através das situações presenciadas e das experiências vividas por um indivíduo ao longo de sua vida.
O conceito por nós conhecido de educação também envolve o nível de cortesia adotado por uma pessoa, com sua delicadeza e civilidade, bem como seu nível e sua capacidade de socialização.
No caso do processo de socialização, a educação é exercida em comum, entre as pessoas, nos espaços de convívio social, adequando o indivíduo à sociedade através dos grupos. Assim, aqui a educação é coincidente com os conceitos de sociabilização e endoculturação, embora não se resuma a apenas esses conceitos. A educação, no seu sentido mais amplo, atinge também os ambientes escolares, levando o indivíduo da educação infantil à graduação de nível superior, com objetivos determinados, tendo os conhecimentos adquiridos para exercer sua função pessoal e profissional no meio em que foi inserido e educado.
Para o filósofo e teórico pedagógico René Hubert, educação é um conjunto de ações e de influências, exercidas voluntariamente entre os seres humanos, normalmente executadas de um ser humano adulto para um mais jovem. Nesse sentido, as ações tem como objetivo atingir um propósito determinado no indivíduo que está sendo educado, para que ele possa exercer sua função nos contextos sociais, econômicos, culturais e políticos da sociedade em que está integrado.
Em seu sentido técnico, educação é um processo contínuo de desenvolvimento, capacitando o indivíduo física, intelectual e moralmente para integrar-se à sociedade ou ao grupo a que pertence.
Ao analisar o sentido formal, educação é qualquer processo continuo de formação e ensino, ou seja, da aprendizagem que faz parte de um currículo programático, dentro de uma instituição oficial de ensino, seja ela pública ou privada.
A Lei de Diretrizes e Bases brasileira divide a educação em dois níveis: a educação básica e o ensino superior. Como educação básica, temos a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio. Nesse sentido, a educação nacional remete a responsabilidade do ensino para os órgãos que gestores do ensino público e para a fiscalização do ensino privado, ou particular.
O processo educativo nos estabelecimentos de ensino desenvolvem o conhecimento e as habilidades dos alunos, transferindo para as crianças, jovens e adultos todos os aspectos do saber humano, com o objetivo de desenvolver o seu raciocínio, ensinar a pensar sobre os problemas e auxiliar no crescimento intelectual, além de promover a formação capaz de gerar as melhores transformações sociais.
Um fato interessante é observar que o termo educação, em português, possui uma conotação que não é a mesma da palavra education, da língua inglesa. Enquanto que, no nosso idioma, educação também pode ser associada às boas maneiras, principalmente quando dizemos que alguém é “educado”, na língua inglesa “educated” se refere unicamente ao ensino escolar.
A educação não se limite apenas às normas e conceitos intelectuais, podendo também se relacionar com a estrutura física de um indivíduo, como é o caso da educação física, ou mesmo a conceitos genéricos, como a educação ambiental.

Educação ambiental

O conceito de educação ambiental envolve a sensibilização e a aprendizagem das pessoas com relação ao meio ambiente. Neste caso, são abordados os temas como reciclagem e energia renovável, tendo como objetivo principal criar atitudes que possam contribuir para a redução do impacto ambiental causado pela modernização.


TEXTO EM:
https://www.significadosbr.com.br/educacao

sábado, 10 de outubro de 2015

A EDUCAÇÃO PERDIDA DA PÁTRIA EDUCADORA




Jards Nobre
Professor, Escritor, Mestre e Doutorando

Em meados dos anos 1990, depois que foi promulgada a Lei 9.394/96, na empolgação das novas diretrizes propostas, difundiu-se nas escolas públicas brasileiras o desprezo pela avaliação escrita, pela semana de provas, pela nota, pela reprovação. O professor, no dia a dia, avaliaria o aluno a partir da observação do desempenho deste em todas as atividades da sala de aula.
No meu ponto de vista, essa é a pedagogia mais adequada para formar um cidadão consciente e honesto, pois o leva a ir para a escola pelo conhecimento, pela sede e necessidade de aprender, não para atingir uma meta representada por uma média numérica ou pela competitividade gerada por ela. No intuito (ou na obrigação) de atingir essa média – que nem sempre corresponde ao aprendizado em si – os alunos desenvolvem todo tipo de estratégia escusa: a “cola” (ou “pesca”), o plágio, a barganha, a alienação (ou “terceirização”) de tarefas… Todas estratégias de corrupção, um mal do qual os alunos reclamarão quando adultos.
Aquela pedagogia de rejeição à prova e à reprovação é aplicada em muitos países em que a educação é exemplo, como a China. Aqui no Brasil não poderia ter dado certo, porque, além da ruptura abrupta de paradigma, os professores não foram preparados para executá-la. O professor que aprendeu a medir o conhecimento dos alunos através de uma nota de repente teve de mudar completamente sua postura. A maioria entendeu tudo errado, o Estado não deu apoio e, poucos anos depois, a nova prática revelou-se um grande desastre, sendo logo abandonada. A aplicação de provas e a atribuição de notas voltaram com força total. O que não mais voltou como antes foi a reprovação. Aprendeu-se que ela não era nada conveniente. Hoje, é mais ou menos assim: não importam as notas, não importa a quantidade de faltas – daí, não importa a aprendizagem – raramente se atesta a reprovação de um aluno na maioria das nossas escolas públicas da educação básica hoje em dia.
Todos os que atuaram na sala de aula nos anos 1990-2000 sabem por que nada deu certo. A massificação da educação para elevar os números dos alfabetizados e de concludentes e para corrigir a distorção idade/série sobrepôs-se à necessidade de formar cidadãos preparados, conscientes, honestos… O lema passou a ser “Não é a escola que reprova, é a vida!”, como se a escola não fizesse parte da vida, como se a vida só começasse ao final do Ensino Médio.
A pedagogia brasileira recuou cedo demais. Hoje, as gerações de crianças que entram na escola já estariam conscientes de que se estuda para aprender, não para atingir uma média.
Pior do que ter recuado cedo demais foi ter partido para a ideologia inversa: a supervalorização da prova.
Hoje, a maioria das escolas públicas brasileiras só está preocupada com os resultados nas avaliações externas (ENEM, SAEB…) e com a colocação que obterá no ranking do INEP. Tudo gira em torno disso. A um mês do ENEM, e as escolas de Ensino Médio não têm outra coisa a tratar com os alunos, a não ser simulados e mais simulados, cursinhos preparatórios, aulas especiais com convidados “top” no assunto. Até o cenário muda: a sigla ENEM se lê em cada coluna, cada flanelógrafo, cada parede da escola. Os conteúdos previstos no plano anual são atropelados, os livros didáticos desprezados. E onde foi parar a formação ética do cidadão, que tanto se defendeu nos anos 1990 e 2000?
Não consigo gostar do ENEM. Desde que ele foi implantado, tolero-o como professor porque não posso evitá-lo. Além de considerá-lo uma prova extremamente exaustiva e dissociada do que se ensina no cotidiano escolar (há questões que você não consegue relacionar a aula nenhuma!), ainda despreza as peculiaridades regionais, já que é uma prova nacional. Depois do ENEM, perdeu o sentido estudar, por exemplo, História do Ceará, Geografia do Ceará, Literatura do Ceará, justamente porque não se estuda mais para conhecer, mas se preparar para o ENEM e este, sendo uma prova geral, não podem abordar o que é local. Consequentemente, o aluno deixa de conhecer a realidade a sua volta, para conhecer logo o universo mais amplo.
A antes tão condenada e evitada “semana de provas” hoje é um evento obrigatório na maioria das escolas, roubando um tempo precioso para a aprendizagem. Nossos alunos recebem quatro provas por dia para responder em um espaço de quatro horas, mas, meia hora depois, já responderam tudo e reivindicam o direito de sair da escola para passear na rua, livres, leves, soltos e não mais inteligentes do que antes.
Acho lamentável que a pedagogia brasileira não consiga acertar o rumo e que a maioria de nossas escolas públicas não consiga desenvolver uma identidade própria, que rompa com o círculo vicioso e realmente cumpra com seu papel de formar cidadãos preparados, éticos, conscientes e educados para conviver em sociedade, respeitar o meio ambiente, o patrimônio público, lutar por seus direitos… Em toda a minha experiência como professor, de uma coisa eu tenho certeza: se você estuda e recebe boas aulas, você se torna preparado para passar em qualquer prova. A aprovação em um concurso deve ser apenas uma consequência do que você aprendeu. Não adianta simular provas e “treinar questões” se você não compreendeu os fenômenos, as regras, os fatos… Mais do que nunca, a razão de uma escola existir é a formação do indivíduo, não a média que este indivíduo ostentará em seu histórico escolar.


A Pátria Educadora ainda não se encontrou no campo da educação para receber esse título.

sábado, 22 de agosto de 2015

XVII SEMANA DA LEITURA, CIÊNCIA, CULTURA E MEIO AMBIENTE

 
 
XVII SEMANA DA LEITURA, CIÊNCIA, CULTURA E MEIO AMBIENTE
de 24 a 29 de agosto de 2015
PROGRAMAÇÃO
Segunda-feira, 24/08 (manhã e tarde)
07h45min/14h40min – Abertura do evento (Hino nacional);
Show cultural – Cordel: Peleja o Zé Pretinho e Patativa do Assaré;
Apresentação musical (Alunas: Tamara, Patrícia e Suiane);
Funk – (Mc Blin);
Esquete teatral – Esse Brasil, nunca mais;
Apresentação do grupo de dança;
Apresentação do grupo musical da escola.
9h30min/15h45min – Concurso de Redação e desenho do Ensino Médio; Prova de conhecimento (Ensino Médio).

Terça-feira, 25/08 (manhã e tarde)
07h45min – 11h: Oficinas de Redação e MT;
13h50min – 17h50min: Oficinas Redação e MT.

Quarta-feira, 26/08 (manhã e tarde)
8h45min/14h55min – Feira de Ciências: Experimentos de Física e Química.

Quinta-feira, 27/08 (manhã e tarde)
9h/13h30min – (Fac. Cisne) Palestra: Liderança e Feira das Profissões (Roda de conversa).

Sexta-feira, 28/08 (manhã e tarde)
08h/14h – Olimpíadas do Conhecimento (Ensino Médio): LP, MT, QUI, FÍS, BIO, HIS, GEO;
8h – Blitz: Campanha “Água é vida”;
Minicurso – Questões ambientais.

Sábado, 29/08
XVII FEIRA ECOLÓGICA – SUPERAÇÃO
07h30min às 11h – Montagem dos trabalhos e preparação das salas ambientes pelas as equipes.
13h30min – Abertura oficial da Feira Ecológica;
Apresentação da banda de música;
Prova de Conhecimentos (Ensino Fundamental);
Concurso de Redação e Desenho (Ensino Fundamental);
Abertura das Salas ambientes (LC, CH e CN);
16h – Encerramento da visitação pública;
16h15min – Desfile da Rainha Ecológica;
17h15min – Solenidade de premiação da XVII Semana da Leitura, Ciência, Cultura e Meio Ambiente.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

10 REGRAS PARA SER FELIZ



Todos os dias, a maioria de nós concentra-se nas nuvens cinzentas no céu. Para muitos a vida é escura e sombria e esquecemo-nos que por trás dessas nuvens, o sol brilha intensamente, cada minuto de cada dia. 
Estas são as 10 regras destinadas a mudar a sua perspectiva, ajudando-o a redescobrir a felicidade que pode ter esquecido .

Regra n º 1 – Pare de sentir pena de si próprio ! Isso não vai ajudar nada. Vai ajudá-lo a ficar num estado de apatia e a fazer papel de vítima .  Ao parar de sentir pena de si mesmo , deixa de se colocar em efeito e começa a colocar-se em causa e aí tudo pode acontecer. Se quer ser feliz – pare de sentir pena de si mesmo, agora!
” A auto-piedade é o nosso pior inimigo e se nos rendermos a ela , nunca poderemos fazer nada sábio neste mundo. ” , Helen Keller
Regra n º 2 – Seja grato . Pense em todas as coisas maravilhosas que existem na sua vida e pelas quais se deve sentir grato. Pode ser a sua família, a sua saúde,a sua casa, os seus amigos. o seu cérebro ,o  seu coração… . Todos nós temos coisas fantásticas nas nossas vidas que nos fazem sorrir com alegria. E se contarmos essas bênçãos todos os dias, vamos descobrir e valorizar o mundo que nos rodeia.
” Se a única oração que você disser na sua vida inteira for obrigado , será o suficiente. ” -Meister Eckhardt
Regra n º 3 – Diga sim mais vezes. Lutamos contra o que nos acontece na vida, em vez de permitir que ela seja o que é. Resistimos-lhe em vez de a aceitarmos. Nós dizemos “Não!” em vez de dizer “Sim” – ou mesmo apenas “Ok “. Ao dizer “Sim!” a vida flui mais fácilmente, as situações tornam-se mais agradáveis e mais positivas e tudo acaba por acontecer da melhor forma possivel.
“Eu vou dizer sim a cada favor, pedido, sugestão ou convite. Eu juro dizer sim onde antes eu diria que não . ” – Danny Wallace
Regra n º 4 – Deixe-se Fluir . Fluir é o que sente quando está envolvido no momento e o tempo realmente não importa.. Fluir é sentir que o que fazemos é tão envolvente e compensador que parece que o tempo pára, e quando olhamos o relógio nem temos pelo tempo passar!!! . Fluir é fazer o que mais gostamos e o que nos dá mais prazer. Pode ser  correr, ler um bom livro, ver o pôr- do-sol, dançar ou simplesmente comer um gelado. Pense o que o faz fluir e comprometa-se a fazer pelo menos uma dessas coisas por dia.
“Quando você segue a sua felicidade, as portas abrir-se-ão onde você não imaginava que existiriam e onde não existirão para qualquer outra pessoa ” , Joseph Campbell
Regra n º 5 – Pratique a Compaixão . Quanto mais se dá, mais se recebe. Um acto de bondade é um pequeno gesto que você concede a alguém,  sem esperar nada em troca  e por absolutamente nenhuma razão que seja.  Ajude um idoso  a atravessar na passadeira, deixe passar o carro que vem da esquerda primeiro, pague um café ao senhor que está a trás de si na fila…Quando colocamos um pouco de bondade adicional no mundo – e devolve-nos isso inundando a nossa própria vida de  de felicidade.
” Se você quer que os outros sejam felizes, pratique compaixão. Se você quer ser feliz , pratique a compaixão . ” – Dalai Lama
Regra n º 6 – Viva o momento presente. A felicidade vivesse e sentissse no momento, no aqui e agora. Nós despendemos muito tempo a pensar que seremos felizes no futuro, ou preocupados com o passado e esquecemo-nos de viver o momento presente. Mas a vida é transitória. O passado já passou. O futuro é apenas um sonho. O único momento que realmente existe é o AGORA.  O AGORA é o único momento que tem e que pode usar para fazer ou mudar alguma coisa na sua vida. O que vai fazer agora?
” Poucos de nós vivem realmente no presente, estamos sempre a antecipar o que está por vir ou a lembrar o que já passou. ” -Louis LARMOR
“Nunca estrague o seu PRESENTE por um passado que não tem FUTURO” Dalai Lama
Regra n º 7 – Aprecie os dois lados da moeda. A verdade é que, para que possa experimentar a verdadeira alegria na sua vida tem que experimentar a tristeza. Sem tristeza , nós não poderíamos saber o que é alegria. Sem noite, não haveria dia. Sem quente não haveria frio. Aprenda a desfrutar e a abraçar todas as aventuras que surgem na sua vida . E quando as coisas aparentemente negativas acontecerem, lembre-se que é apenas a dualidade da vida. É apenas o outro lado da moeda.
” Você só sabe que está a descer  quando já atingiu um pico. E só sabe que caíu numa vala, quando sai dela . Tudo está certo . ” -David Brent
Regra n º 8 – Cultive os amigos . Em inúmeros estudos sobre a ciência da felicidade, cultivar os amigos aparece como uma característica das pessoas verdadeiramente felizes e bem sucedidas na sociedade. Eles têm uma grande rede social ! Não basta esperar que as pessoas interessantes  tropeçem na sua vida. Expanda o seu círculo social , tanto quanto puder. Seja a pessoa que anda pela cidade e esbarra em uma dúzia de amigos.
“Sejamos gratos às pessoas que nos fazem felizes , são os jardineiros encantadores que fazem as nossas almas florescer. ” – Marcel Proust
Regra n º 9 – Defina para onde quer ir. Ter objectivos claros é importante. Decida para onde quer ir e como quer ir – e isso vai acontecer! Defina claramente  a sua intenção, dê atenção a essa intenção. Mande o curriculum, escreva a carta, faça o telefonema…e relembre  a sua intenção geral , todas as manhãs e todas as noites , também. Vai ficar surpreendido como o universo nos presenteia quando sabemos para onde queremos ir.
” Se você pensa que pode ou que não pode, você está certo. ” – Henry Ford
Regra n º 10 – Ame Mais! Quanto mais amor damos mais felizes nos sentimos! Quanto mais amarmos os outros , mais feliz seremos. Quanto mais amamos o mundo em nosso redor, mais felizes seremos . Quanto mais amarmos , mesmo os nossos inimigos , mais felizes seremos . E o melhor de tudo, é que podemos controlar a quantidade de amor que damos – e, assim, controlar a quantidade de felicidade que queremos.
“Amor e bondade nunca são desperdiçados . Eles sempre fazem a diferença. É abençoado o que recebe e abençoado o que dá. ” – Barbara De Angelis




sábado, 27 de junho de 2015

PROJETO FAMILIA E ESCOLA

 
Desenvolvendo o Projeto Família e Escola, estivemos, hoje, 27 de junho de 2015, realizando visitas domiciliares a todos os nossos estudantes, residentes na sede do Município de Ibaretama. Foi um momento de integração entre professores e familias que buscam o crescimento pessoal e intelectual de todos os nossos aprendentes.